Cadastre-se no mailing e receba promoções exclusivas, agenda de eventos e lançamentos do universo de Charutos.
FALE CONOSCO: thomas@tziemer.com | Jardins - SP. Brasil. FOLLOW ME: @tziemer
Todos os direitos reservados para Thomas Ziemer. Desenvolvimento por @mecomunica.mkt contato@m3comunica.com - São Paulo / SP. Brasil.

Puros Añejados - será que vale o preço?

O processo cubano de “añejamento” promete puros fantásticos, mas eu tenho algumas percepções e sugestões diferentes.

Em de Fevereiro de 2015, a Habanos SA noticiou o lançamento de dois novos charutos no mercado: Romeo y Julieta Pirâmides e Montecristo Churchills Añejados. Em Janeiro de 2016 mais dois charutos juntaram-se a “linha” dos Añejados: Hoyo de Monterrey Hermosos Nº4 e Partagas Coronas Gordas.

O conceito dos Añejados cubanos nasce no processo de envelhecimento. Os charutos são envelhecidos por no mínimo 5 anos, em condições perfeitas de temperatura e umidade, já enrolados e dentro das caixas de cedro. Com este processo a Habanos procura colocar no mercado um charuto já evoluído, “amansado”, mais complexo em sabores e aromas, com um toque a mais de madeira pelo contato dos anos com a caixa de cedro.

Gostaria de dividir com vocês um pouco sobre os puros Añejados: já fumei mais de 5 exemplares de cada um destes, por isso julgo poder opinar sobre o “añejamento” e resultado final deles.

Dos quatro puros, os que mais me agradaram foram: Romeo y Julieta Pirâmides, por seu ring 52, complexidade de aromas e notável melhora do tabaco; e o Partagás Corona Gorda, por ter perdido um pouco da picância, característica da marca, e ter evoluído para notas sedosas de nozes e amêndoas. Já os outros dois tive percepções negativas: o Montecristo Churchills perdeu muita força e ficou sem a “alma dos Montecristos”; já o meu querido Hoyo de Monterrey Hermosos Nº4 me decepcionou, pois falta o frescor vegetal clássico da Hoyo. O charuto apresenta aromas de madeira e amargor apenas... uma pena.

Alguns pontos que gostaria que vocês refletissem: no Festival Del Habano de 2016, estive em Havana participando de algumas palestras e numa delas estavam dois senhores - um senhor da Habanos SA e outro do Instituto de Investigaciones Del Tabaco. A palestra era sobre envelhecimento dos puros e defendia que os charutos deveriam ser envelhecidos no máximo 5 anos, orientando que charutos de fortaleza média/baixa não envelhecem bem e que apenas charutos médio/fortes podem ter um bom resultado. Fiquei com a pulga atrás da orelha e quis tirar minhas próprias conclusões. Fui até a Casa Del Habano, em Havana Vieja, e comprei uma caixa de Hoyo de Monterrey Añejado de Janeiro/2006. A data contradiz totalmente a fala dos apresentadores e também os lançamentos daquele ano. Hoyo tem fortaleza fraca e lançaram um Añejado da marca, Montecristo é um puro médio/forte e pela apresentação dos senhores deveria estar um charuto fantástico - o que não aconteceu.

A minha conclusão é pessoal e baseada nos meus anos de “baforadas”, mas prefiro investir em charutos que já sei como irão se comportar com o envelhecimento nos meus umidores caseiros, com excelentes resultados em até 10 anos de envelhecimento, como Partagás D4 e P2; Bolivar Belicosos Finos; Robaina Únicos; Cohiba Robusto; Hoyo de Monterrey Epicure Nº2; Ramon Allones Especial Selecteded, entre tantos outros.

Boas baforadas e não se esqueçam: envelheçam seus tabacos!            

 

Curtir
Please reload

Posts Recentes

November 1, 2019

September 8, 2019

July 31, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload