Cadastre-se no mailing e receba promoções exclusivas, agenda de eventos e lançamentos do universo de Charutos.
FALE CONOSCO: thomas@tziemer.com | Jardins - SP. Brasil. FOLLOW ME: @tziemer
Todos os direitos reservados para Thomas Ziemer. Desenvolvimento por @mecomunica.mkt contato@m3comunica.com - São Paulo / SP. Brasil.

Plasencia

February 23, 2019

A historia da familia Plasencia é comum entre as inúmeras fabricas de sucesso que saíram de Cuba, de origem pobre das Ilhas Canárias, em 1865 Don Eduardo Plasencia chega em Cuba buscando oportunidades de trabalho e foi num campo de tabaco em Vuelta Abajo que sua vida começou a mudar. Em 1898, seu sobrinho Sixto Plasencia assumiu a plantação e criou a Fazenda Corojal, cuidando de todos os processos do tabaco, desde a sua plantação até a matéria prima já fermentada e pronta para ser enrolada. Em 1920, Elder Sixto Plasencia, filho de Sixto, abriu uma empresa, Hijos de Sixto Plasencia, exportadora de tabaco da fazenda Corojal para começar a atender a demanda estrangeira por tabaco cubano. Em 1963 as fazendas em Vuelta Abajo foram confiscadas pelo regime de Fidel Castro, Don Elder Sixto e sua familia fugiram para o México apenas com seus pertences pessoais e logo se realocaram na Nicaragua. Começando novamente do nada em 1965 Don Elder colhe sua primeira safra de tabaco fora de Cuba, por conta de sua experiencia e dos solos férteis vulcânicos seus tabacos começam a fazer sucesso. Em 1978, os terroristas Sandinistas da Nicaragua colocam fogo nas fabricas de Don Elder e a familia foge para Honduras temendo por suas vidas. Sendo a IV geração da familia Plasencia, Néstor é responsável por levar a empresa a chegar na marca de 1 milhão de charutos produzidos (para outras empresas) em 1986. Em 1990, a familia volta para suas terras na Nicaragua e junto com as plantações de Honduras, atingem a marca de 33 milhões de charutos produzidos por ano, sendo nos anos 2000, mais de 30 marcas de charutos confiam suas produções a Plasencia. Em 2015 o conglomerado emprega mais de 6mil funcionários diretos, 4 fabricas, 8 plantações e mais de 40 milhões de charutos produzidos por ano. Foi apenas em 2017 com a V geração no comando dos negocios que a Plasencia lançou sua própria marca de charutos, introduzindo ao mercado a serie Alma, Reserva Original, Cosecha 146 entre outras. 

De todas as linhas de charutos da Plasencia, gosto muito de duas, a Cosecha 146 e a Alma Fuerte, como o nome diz, um charuto forte com muita personalidade e corpo, apresentado em 4 bitolas (Salomón, Toro, Robusto e Hexágono). 

Esta linha é feita 100% com tabacos envelhecidos da Nicaragua, com característica forte, estes tabacos tem aromas de chocolate amargo, canela, melaço de cana com um final de boca amadeirado muito elegante. É um charuto extremamente premium, raro e forte, por isso escolha uma ocasião especial para degusta-lo, indico acompanhar de um Rum envelhecido, um cognac XO ou até mesmo uma boa cachaça.

A linha Cosecha 146 é uma homenagem a 146 colheitas feitas pela familia Plasencia, com capa de Honduras e miolo Nicaragua/Honduras da colheita de 2011/2012 é um tabaco vintage, muito equilibrado, de potencia média e muito intenso, estes tabacos mais envelhecidos ficam mais redondos, suaves e no caso deste Plasencia, com um final de boca complexo e adocicado. Aconselho harmonizar qualquer uma de suas 5 bitolas (Robusto, Robusto Gordo, Gordo, Torpedo e Toro) com uma bebida mais elegante e suave como um vinho do porto tawny 20 anos, Sauternes ou um Single Malt de Highlands. 

 

Boas baforadas

 

 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Curtir
Please reload

Posts Recentes

November 1, 2019

September 8, 2019

July 31, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload